"Quem viveu a construção de Brasília e trabalhou aqui durante mais de 40 anos, conhece nossa história, nossa cidade, nossa gente, suas conquistas e suas expectativas."

Memória de Brasília
Espírito empreendedor

Pioneira de primeira hora, e brasiliense de coração. Chegou aqui em 1957, numa memorável viagem de jipe junto com seu marido e um cachorro, atraída pelo arrojo de Juscelino Kubitschek e pela aventura de construir a nova capital do Brasil no meio do cerrado virgem do planalto central. Morou na Cidade Livre em barraco de madeira sem luz, água quente, ou telefone, e participou ativamente na construção da Nova Capital, atuando como corretora oficial da Novacap e como revendedora de material para os primeiros prédios da cidade.

Ainda em 1957, atuou como intérprete do fotógrafo sueco Ǻke Borglund que veio a Brasília para documentar o cotidiano dos operários anônimos que estavam levantando os primeiros prédios da futura capital. Como retribuição, ganhou a coleção com 36 fotos que hoje constituem um dos mais valiosos acervos autorais da história de Brasília. Colaborou com Darcy Ribeiro em 1961 durante a fase de implantação da Universidade de Brasília. Em 1962, junto com seu marido, fundou a primeira agência de viagens da capital, abraçando definitivamente o ramo do turismo. Como empresária de turismo, fez jus a inúmeros troféus pelo desempenho profissional exercido com ética e responsabilidade, tendo ajudado a formar bem sucedidos profissionais que hoje se destacam na atividade. Desde então, tem sido uma incansável batalhadora pela divulgação de Brasília no país e no exterior.

Mas seu maior orgulho mesmo, é ter constituído uma família genuinamente brasiliense composta pelas duas filhas, Mercedes e Gabriela, e pelos cinco netos. A partir de dezembro de 2001, promoveu uma exposição fotográfica itinerante em homenagem ao centenário do Presidente Juscelino Kubitschek denominada "Memória da Construção de Brasília", com a qual percorreu doze regiões de Brasília além do Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek.

Atualmente com nova curadoria divulgando o passado e o presente da capital, a exposição, que adotou o nome de "", foi admirada nas principais capitais do Mercosul em 2004 e continua sua turnê internacional em 2005 acrescentando uma novidade: o documentário "BRASÍLIA 45" produzido pela TV CÂMARA e legendado em inglês e espanhol apresentando depoimentos inéditos de autênticos pioneiros.

Biografias

Åke Borglund,
o fotógrafo sueco

Em 1957, o fotógrafo Åke Borglund era um repórter fotográfico que fazia trabalhos para veículos da imprensa européia, como a Life Magazine, a National Geographic Magazine e outros mais. Em novembro daquele ano, empreendeu uma longa viagem pela América do Sul. Quis o destino que o interesse pela incipiente construção da nova capital do Brasil o transformasse num autor cujo testemunho fotográfico ocupa um lugar de destaque na história de Brasília.

Não há dúvida de que Åke Borglund deixou registrado para a posteridade, com rara sensibilidade, o lado humano do que foi a construção da nova capital do Brasil. A pioneira Mercedes Urquiza, à época recém chegada a Brasília, participou da produção das fotos como intérprete do fotógrafo sueco. Posteriormente, em sinal de reconhecimento pelo trabalho realizado, recebeu a coleção como um presente de seu autor.

O acervo produzido por Åke Borglund preenche todos os requisitos de raridade histórica, e foi considerado pelo representante da UNESCO no Brasil, como “um trabalho notável pelo ineditismo da abordagem do fotógrafo, pelo seu valor histórico e qualidade artística”.

Rui Faquini,
o fotógrafo contemporâneo


Nasceu em Morrinhos, estado de Goiás, em 1943, no tempo em que o acesso ao interior brasileiro era difícil e escasso. Como pioneiro, participou da construção de Brasília.

Morou em alguns países que lhe deram uma visão abrangente do
mundo. Entre os quais: Irã, Japão, onde se iniciou na fotografia, e a antiga Iugoslávia. Durante passagens pela Suíça, Inglaterra e Itália, realizou oficinas e estágios em estúdios de fotografia, ao longo dos quais desabrochou sua paixão pela profissão.

Voltou ao Brasil com a finalidade de documentar as particularidades da cultura e da paisagem, especialmente nas regiões Centro-Oeste e Norte.

Reside atualmente em Brasília, cidade eleita pelo seu coração de pioneiro, onde tem um estúdio fotográfico.

Clique nas imagens para amplia-las e ver as legendas.
Memoria de Brasília
Memoria de Brasília
Memoria de Brasília
Memoria de Brasília
Memoria de Brasília
Fone: 3223-1385 / Fax: 3223-1385 /E-mail: mercedesurquirena@gmail.com